23 setembro 2005

JUSTIÇA


Direito garantido
Um deficiente físico ganhou uma ação inédita na Justiça brasileira. Inconformado com o fato de não conseguir utilizar caixas eletrônicos, o professor universitário de Juiz de Fora, Minas Gerais, Franco Groia, que é cadeirante, processou quatro bancos dos quais era correntista. Groia ganhou em primeira instância uma ação contra o Bradesco. A sentença prevê o pagamento de R$ 5 mil por danos morais e obriga a agência que ele freqüenta a instalar um caixa adaptado.
(Revista Época n. 379, de 22 de agosto de 2005)

Um comentário:

Prof. Frederico César disse...

Indiscutivelmente Franco, isto é que é Participação Política.
Infelizmente a maioria da população sofre por não conhecer seus direitos e por não exercer sua cidadania.